quinta-feira, 21 de abril de 2016

GEOGRAFIA DAS RELIGIÕES - 3º anos D, E e F - Ensino Médio - Sylvio Maya

Olá queridos alunos dos 3º Anos Ensino Médio Maya, a partir desta semana irei postar todo o conteúdo a ser estudado aqui no Blog, para facilitar o acesso às Situações de Aprendizagem.
Peço gentilmente que leiam o conteúdo semanalmente, para a realização da explicação em sala de aula e entrega das atividades.Desta forma, nenhum aluno será prejudicado, visto que ministro somente uma aula semanal.Agradeço à todos !!!Um grande abraço e bons estudos !!!


Geografia das religiões

            Vamos analisar a difusão e a distribuição geográfica das principais religiões do mundo, em destaque para o caso das três principais religiões monoteístas (crença em um só Deus): cristianismo, islamismo e judaísmo. Compreender melhor o espaço mundial por intermédio de um de seus elementos essenciais, a religiosidade e as religiões, poderá contribuir para um melhor entendimento acerca do dinamismo, complexidade e pluralidade do espaço geográfico mundial. É importante estudar a Geografia das religiões, diante de fatos e acontecimentos do mundo contemporâneo: a intolerância religiosa que é noticiada em jornais, revistas, televisão e outros meios de comunicação. Levantaremos aspectos importantes, como origens, difusão, distribuição geográfica e contingente populacional, as principais rotas de dispersão das religiões (o que nem todos os mapas apresentam, principalmente se as difusões são em menor amplitude), como por exemplo, os adeptos ou grupos de fiéis do budismo e do islamismo no Brasil e as diásporas (dispersão de povos em virtude de perseguição de grupos intolerantes) judaicas.
            Os espaços das religiões são parte integrante da totalidade do espaço geográfico mundial. Cada uma das religiões possui uma dinâmica histórica e uma dimensão geográfica, por exemplo, população e território.

Diversidade do cristianismo
            Atualmente, ele é praticado por pelo menos um terço da população mundial (mais de dois bilhões de seguidores), o que faz desta religião a maior do mundo em número de fiéis, apresentado no gráfico “Os 10 primeiros países cristãos, 2005” na página 15 no caderno do aluno. O cristianismo é uma religião surgida na Palestina, no primeiro século depois de Cristo e cujos alicerces são baseados nos ensinamentos de Jesus Cristo (4 a.C. – 29 d.C.). No entanto, dois mil anos depois de seu nascimento, o mundo experimenta várias formas de cristianismo, divididas em diferentes denominações. A maior divisão existe entre ortodoxos – também conhecidos como cristãos do Oriente – e os cristãos do Ocidente que, por sua vez, também se subdividiram entre cristãos católicos e protestantes.

Ortodoxos Orientais
Cristãos do oriente (lado direito do mapa mundi)
Maioria concentrada na Rússia
Católicos Romanos
Cristãos do ocidente (lado esquerdo do mapa mundi)
Maioria concentrada no Brasil
Protestantes
Maioria concentrada nos EUA


Islamismo, a segunda maior religião do mundo em número de fiéis
            O islamismo conta, atualmente, com cerca de 1,3 bilhão de seguidores e foi fundado pelo profeta Maomé há 1400 anos no território que hoje corresponde à Arábia Saudita. Logo atrás do cristianismo, é a segunda maior religião do mundo em número de fiéis e vem apresentando um crescimento expressivo de adeptos (cerca de 15% ao ano), sendo a que mais cresce no mundo, como observamos nos mapas “Os muçulmanos,2006” na página 16 do caderno do aluno. Os países, com as maiores populações islâmicas, se encontram não somente no Oriente Médio, onde a religião surgiu, mas em outras partes da Ásia e no Norte da África. O maior país islâmico do mundo é a Indonésia, com 1700 milhões de muçulmanos, seguida pelo Paquistão (136 milhões), Bangladesh (105 milhões) e Índia (103 milhões).
            Muçulmano é todo aquele que segue o islamismo, uma religião monoteísta baseada no Corão ou Alcorão – o livro sagrado do Islã, considerado como a palavra de Deus revelada a Maomé. Islã vem do árabe e significa “submissão” (ao desejo e à orientação de Deus), tem suas raízes etimológicas assentadas na idéia de salam (paz) e é utilizado para designar o conjunto dos povos de civilização islâmica que professam o islamismo. Os lugares e espaços considerados mais sagrados pelos muçulmanos são as cidades de Meca, Medina e Jerusalém, todas localizadas no Oriente Médio, como aparece no mapa “Principais lugares sagrados do Islã”, na página 17 do caderno do aluno.
            Hajj é um dos cinco pilares da fé islâmica, uma peregrinação que os muçulmanos fazem à cidade de Meca pelo menos uma vez na vida. A Arábia Saudita estabelece cotas para os países, delimitando o número de peregrinos autorizados a participar do hajj. Do total de 2.378.636 peregrinos que participaram do hajj em 2006, 70% eram estrangeiros, dos quais mais de um terço procedente do Sudeste Asiático, como podemos observar no gráfico “Peregrinos à Meca”, na página 17 do caderno do aluno. Durante o hajj, os fiéis se dedicam inteiramente a Alá e cada peregrinação costuma reunir, em Meca, cerca de dois milhões de muçulmanos de todo o mundo. O alvo da peregrinação é a Caaba, uma construção em forma de cubo na qual se reverencia um meteorito negro que fica no centro da grande mesquita em Meca.
Existem dois grupos de islâmicos, os sunitas que formam 90% de todos os fiéis, e os xiitas, que são a maioria em países como o Irã e o Iraque. Não podemos falar em um só mundo islâmico, assim como não existe um mundo cristão homogêneo.
O islamismo (religião) não deve ser confundido ou associado diretamente com o fundamentalismo islâmico, termo cunhado a partir do fim dos anos 1970, no contexto da Revolução Islâmica. O fundamentalismo é utilizado para todos os grupos extremistas (que levam ao exagero) em todas as religiões; a popularidade do termo advém de sua generalidade, o que reduz a complexidade de uma determinada religião ou cultura, reunindo grupos diferentes em seu interior sob a mesma denominação. Ele manifesta-se em movimentos empenhados na criação de sociedades regidas pelo Alcorão (livro sagrado do islamismo) e contrárias aos modelos políticos e filosóficos ocidentais (como a separação entre Estado e religião ou a separação entre a democracia e o individualismo, o que chamamos Estado Laico). O fundamentalismo propagou-se entre os muçulmanos especialmente após a Revolução Islâmica no Irã, que instalou no país um Estado teocrático, conduzido pelo líder xiita Ruhollah Khomeini. Também se destacam a atuação, no Egito, do grupo extremista Gammaat-i-Islami, responsável por atentados terroristas, em especial contra turistas estrangeiros em visita ao país; a Frente Islâmica de Salvação (FIS), na Argélia, que pretende reorganizar o país segundo as leis do Alcorão; a milícia (força militar de um país, tropa) xiita libanesa Hezbollah, diretamente envolvida no combate a tropas israelenses instaladas no sul do Líbano; o Hamas, nos territórios ocupados por Israel, contrário ao acordo de paz entre palestinos e israelenses; e a milícia Taliban, que luta, no Afeganistão, pela implantação de um estado islâmico “puro”.

Judaísmo
            O judaísmo é a mais antiga das religiões monoteístas e a que apresenta o menor número de fiéis pelo mundo. Entre os cerca de 13 milhões de judeus existentes no mundo, atualmente as maiores comunidades judaicas se concentram na Europa (a maior delas encontra-se na França), em Israel e nos Estados Unidos, como vemos na tabela “Mundo: população judaica, 1970-2020” na página 19 do caderno do aluno.
            Um dos aspectos essenciais do judaísmo é não ser uma religião missionária (pregação, missão). Aqueles que se convertem devem observar os preceitos da lei judaica (a Torá), interpretada como a orientação de Deus por meio das escrituras. A Tora, ou a Bíblia hebraica, é chamada pelos cristãos de Velho Testamento, reunindo principalmente os cinco primeiros livros da Bíblia, cuja autoria é atribuída a Moisés, o chamado Pentateuco. Em cada sinagoga, ao menos uma cópia da Torá em hebraico é conservada sob a forma de pergaminho. Comentários sobre a Tora, aplicando-as a situações contemporâneas (atuais) e circunstâncias variadas são encontrados no Talmud, um compêndio (livro de textos para escola, um resumo da doutrina) da lei.
            Os judeus possuem uma forte ligação com Israel (estado criado em 1948, situado em terra considerada prometida por Deus a Abraão) e com a cidade de Jerusalém, considerada sagrada. O judaísmo caracteriza-se por ser, fundamentalmente, uma religião da família e que se propaga por intermédio dela. Os judeus se consideram parte de uma comunidade global, com laços estreitos com outros judeus. Os judeus estão divididos de acordo com suas práticas religiosas e origens étnicas, em dois grupos: os askenazi (originário da Europa Central) e os sefarditas (com raízes na Espanha e no Oriente Médio).

Para saber mai sobre outras religiões:
Você pode pesquisar sobre o Hinduísmo (que possui um sistema de castas, que influencia na estrutura política, econômica e social, bastante particular) e sobre o Budismo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Textos de Apoio - 8º Anos A, B, C, D, E e F - Escola Sylvio Maya - 3º Bimestre

Apostila Volume II - 3º Bimestre - Professora Daiane - Geografia - 8º Anos Situação de Aprendizagem 1 -  A apropriação desigual dos rec...