quarta-feira, 27 de maio de 2015

Geografia | Globalização e blocos econômicos

Os blocos econômicos e a nova ordem mundial

Documentário: O Veneno esta na Mesa

Exercícios sobre agricultura

Pessoal 2º e 3º Ensino Médio - Sylvio Maya:

Bom dia queridos, segue alguns exercícios sobre agricultura para vocês treinarem.

Abraço e bons estudos !!!

Exercícios resolvidos sobre Agricultura

Listas de exercícios e questões de vestibulares sobre Agricultura no Brasil e no mundo
Assuntos: Biotecnologia, espaço agrícola, transgênicos,  agricultura itinerante, agricultura de jardinagem, complexos agroindustriais, técnicas agrícolas, plantation.

1-(UNESP) A biotecnologia começou a apresentar os primeiros resultados na agricultura mundial em meados da década de 80. Desde então, novos horizontes se abriram para a agricultura e agroindústria. Por volta de 1986, as primeiras plantas modificadas geneticamente começaram a ser testadas no mundo e, após 12 anos, a área total plantada com cultivos transgênicos, principalmente soja, milho, algodão, canola e batata, já ocupava cerca de 28 milhões de hectares.
a) Apesar da polêmica que cerca este assunto, cite dois aspectos de quem é a favor da utilização de plantas
geneticamente modificadas.
R= Econômicas: transformações nos vegetais para torná-los mais rentáveis,criação de plantas adaptadas a diversos ambientes (solo, clima, altitude, luminosidade); Científicas: possibilidade de tornar os alimentos mais nutritivos.

2-(FUVEST) "(...) cerca de 30% do território nacional é ocupado por cidades ou atividades agropecuárias, sendo que os restantes 70%, aproximadamente, são constituídos por terras em geral não-aproveitadas economicamente, com exceção de poucas áreas florestais onde se pratica o extrativismo vegetal. (...) Mesmo que sejam descontadas as parcelas correspondentes a essas áreas [reservas indígenas e florestais], restariam ainda 170 milhões de hectares de terras não produtivas, embora já desmatadas pelos proprietários."(FERNANDES, B.M. et alii., 1990)
a) Dê ao texto um título que resuma a problemática enunciada pelos autores.
R=a) Subaproveitamento de espaço agrícola.

3-(UFSCAR) A Medida Provisória editada pelo Governo em 25.09.2003, que autorizou o plantio da soja transgênica na safra 2003-2004, acirrou os debates em torno do uso de sementes geneticamente modificadas no Brasil. Em relação a esta questão, responda.

a) Considerando os argumentos usualmente presentes no debate sobre alimentos transgênicos, cite um argumento de ordem econômica e um de ordem ambiental, utilizados pelos grupos contrários ao uso de sementes geneticamente modificadas.
R= Ordem econômica: dependência dos laboratórios produtores das sementes
Ordem ambiental: desgaste dos solos ao longo do tempo.

4-(UFRJ) "... a agricultura brasileira evoluiu basicamente de grandes propriedades auto-suficientes para aquilo que hoje se chama "complexos agro-industriais". Antes a agricultura produzia os seus próprios adubos orgânicos... hoje, esses adubos são químicos e vêm de fora... Criava os seus próprios animais, de tração... hoje esses animais de tração foram substituídos pelos tratores...".
(Adaptado de SILVA, J. Graziano da.O DESENVOLVIMENTO DO CAPITALISMO NO CAMPO BRASILEIRO E A REFORMA AGRÁRIA)
A partir do texto explique o que são os complexos agroindustriais.
R= Os complexos agroindustriais resultam da integração (entrelaçamento) dos capitais bancários, industriais e agrários. Deles fazem parte a produção de adubos químicos, máquinas e equipamentos, sementes selecionadas e rações, realização de pesquisas; as atividades de armazenamento, transporte e industrialização dos produtos agropecuários. Nos complexos agro-industriais estão incluídos todos os setores e atividades que envolvem o mercado de alimentos e de matérias-primas para a agroindústria.

5-(FUVEST) Estabeleça comparações entre a agricultura itinerante e a agricultura de jardinagem do ponto de vista das técnicas agrícolas e da mão-de-obra.
R= Itinerante - rudimentar pouca mão-de-obra
Jardinagem - cultura técnica muita mão-de-obra

6-(UNESP) Algumas das restrições impostas pela natureza ao desenvolvimento de atividades econômicas em várias do globo terrestre, vêm sendo superadas, com mais intensidade, no século atual. Que aspectos da natureza podem ser modificados e que técnicas podem ser usadas para que se torne viável a pratica da
agricultura?
R= Adubação química.Irrigação. Cultivo em áreas desérticas.
7-A introdução de organismos geneticamente modificados (OGMS) na agricultura tem desencadeado um processo de discussão controvertido, dividindo posições entre especialistas, governos, empresas, poder judiciário e opinião pública, favoráveis e contrários à liberação dos OGMS no Brasil. Diante da indefinição em nível federal, alguns governos estaduais resolveram criar barreiras técnicas comerciais aos OGMS em seus territórios, visando principalmente atender aos interesses econômicos de seus produtores agrícolas no mercado internacional, com uma campanha publicitária dirigida aos produtores rurais e aos consumidores, através do slogan "Transgênicos, não plante esta idéia."
Cite e explique duas características positivas e duas negativas quanto à introdução de produtos transgênicos na agricultura.
R= Positivas: baixos custos no plantio; manejo de pragas.
Negativos: efeitos desconhecidos sobre a saúde dos consumidores; queda no rendimento das safras ao longo do tempo; dependência dos laboratórios produtores das sementes.

8-(FUVEST) Indique duas importantes transformações que têm ocorrido na agricultura brasileira em função da chamada "penetração do capitalismo no campo".
R= Mecanização, melhoria de produtividade, diversificação de produção.
9-(FUVEST) Alguns dos graves problemas que afligem a África na atualidade têm suas origens na dominação colonial desse continente pelos europeus. Discuta a afirmação anterior, explicando as relações que podem ser feitas entre:
a) O sistema agrícola introduzido pelos colonizadores e a atual situação socioeconômica da África Negra.  Exemplifique com um caso específico.
R= Sistema de plantation, situação de desestruturação socioeconômica.


domingo, 24 de maio de 2015

ORIENTAÇÃO e CARTOGRAFIA: Conceito Localização Pontos Cardeais Rosa dos ...

Metodos de Orientação - Parte 1 / 2.wmv

Questões UNICAMP Geografia

Boa noite pessoal do 2º A - 2º B - 2º C e 3º A da Escola Sylvio Maya.

Segue site da comvest - UNICAMP,  para pesquisa sobre as questões referentes à Geografia, para que vocês relacionem os conteúdos que estão sendo estudados, e a forma da aplicação das provas.
Disponibilizei outros endereços eletrônicos para pesquisa.

Grande abraço e excelente semana à todos.

Disponível em:

https://www.comvest.unicamp.br/vest_anteriores/2011/download/comentadas/geografia.pdf
http://rachacuca.com.br/educacao/vestibular/unicamp/geografia/
http://www.provasdevestibular.com.br/unicamp/
http://suburbanodigital.blogspot.com.br/2013/04/geografia-questoes-discursivas-do.html
http://geoconceicao.blogspot.com.br/2012/11/questao-9-na-america-latina-africa-asia.html

Acesso em 25.05.2015


Steve Jobs discurso DUBLADO EM PORTUGUÊS - HD - Universidade Stanford - EUA

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Turma do 9º Ano Sylvio Maya


"O tema a ser pesquisado será Multinacionais".


Segue algumas dicas:


Pessoal, prestem atenção, pois o trabalho deverá conter:

  • Digitar e imprimir;
  • Capa, com o título do trabalho, nome, número e série de cada aluno;
  • Na parte superior da folha, deve constar o logotipo da marca escolhida e pesquisada;
  • Ramo da empresa;
  • País de origem;
  • Ano da Fundação;
  • Histórico,
  • Presença Global;
  • Presença no Brasil;
  • Curiosidades;
  • Fonte da consulta e pesquisa.
A DATA PARA ENTREGA SERÁ DIA 11.06.2015.

Trabalho para turmas Escola Sylvio Maya

Boa noite pessoal das turmas do ensino Médio !!!

Em relação ao trabalho solicitado sobre "Conflitos atuais no mundo", peço que pesquisem principalmente os relacionados com a Geopolítica e Geografia Geral OK.

Aos alunos que possuem computador e internet em casa, aproveitem a oportunidade para pesquisar também sobre as normas da ABNT, pois será de grande valia até o final da Universidade.

Aos que não tiverem computador e internet, pesquisem na Biblioteca da Escola, as revistas atuais e assista aos telejornais, e podem entregar o trabalho feito a mão.

Atentem para o fato de não copiar OK.

Leiam com atenção, entendam o assunto, perguntem para a Professora e tentem elaborar com suas próprias palavras, para melhor assimilação do conteúdo estudado.

Estou à disposição para eventuais dúvidas. Façam perguntas, sejam curiosos.

E-mail: daianeavona@yahoo.com.br ou aqui pelo Blog.

Grande abraço e excelente descanso à todos.



quarta-feira, 20 de maio de 2015

A origem do planeta terra documentário COMPLETO

A Criação do Planeta Terra

Cidades Submersas [Completo Dublado] Documentário Discovery Civilization

El Niño e o Aquecimento Global - Parte 5 de 5 .

El Niño e o Aquecimento Global - Parte 4 de 5 .

El Niño e o Aquecimento Global - Parte 3 de 5 .

El Niño e o Aquecimento Global - Parte 2 de 5 .

El Niño e o Aquecimento Global - Parte 1 de 5 .

El Niño, La Niña

terça-feira, 19 de maio de 2015

Por uma outra Globalização

POR UMA OUTRA GLOBALIZAÇÃO (do pensamento único à consciência universal) Milton Santos.
           Neste livro, Milton Santos propõe uma interpretação multidisciplinar do mundo contemporâneo, em que realça o papel atual da ideologia na produção da história e mostra os limites do seu discurso frente à realidade vivida pela maioria das nações. A tirania da informação e a do dinheiro são apresentadas como os pilares de uma situação em que o progresso técnico é aproveitado por um pequeno número de atores globais em seu benefício exclusivo. O resultado é o aprofundamento da competitividade, a produção de novos totalitarismos, a confusão dos espíritos e o empobrecimento crescente das massas, enquanto os Estados se tornam incapazes de regular a vida coletiva. É uma situação insustentável. 
                 O autor enxerga nas reações agora perceptíveis na Ásia, mas também na África e na América Latina e nos movimentos populares protagonizados pelas camadas mais pobres da população, a semente de uma evolução positiva, que deverá conduzir ao estabelecimento de uma outra globalização. A tônica desta hora é a mensagem de esperança na construção de um novo universalismo, bom para todos os povos e pessoas. Este novo livro de Milton Santos trata da globalização como fábula, como perversidade e como possibilidade aberta ao futuro de uma nova civilização planetária. 
                Os atores mais poderosos desta nova etapa da globalização reservam-se os melhores pedaços do Território Global e deixam restos para os outros. Mas a grande perversidade na produção da globalização atual não reside apenas na polarização da riqueza e da pobreza, na segmentação dos mercados e das populações submetidas, nem mesmo na destruição da Natureza. A novidade aterradora reside na tentativa empírica e simbólica de construção de um único espaço unipolar de dominação. A tirania do Dinheiro e da Informação, produzida pela concentração do capital e do poder, tem hoje uma unidade técnica e uma convergência de normas sem precedentes na história do capitalismo. 
                O seu caráter globalmente destrutivo acaba porém sendo contraditório, levando à resistência parcelas crescentes da humanidade a partir de seus distintos “lugares”. O velho otimismo do grande geógrafo brasileiro reaparece em relação às 2 cidades, como espaço de liberdade para a cultura popular em oposição à cultura midiática de massas, como espaço de solidariedade na luta dos “de baixo” contra a escassez produzida pelos “de cima”. 
A visão de uma nova horizontalidade na luta dos oprimidos contra a verticalidade dos opressores é comovedora e estimulante, já que conduz a uma nova utopia. Produz-se assim, diz ele, uma nova centralidade do social que constitui a base para uma nova política. Não podendo a esmagadora maioria “consumir o Ocidente globalizado” em suas formas puras (financeira, econômica e cultural), aumentará a resistência à dominação ultraliberal e consumista propagandeada pelas grandes organizações dos meios de comunicação de massas.
                 A alienação tende a ser substituída por uma nova consciência, uma nova filosofia moral, que não será a dos valores mercantis mas sim a da solidariedade e da cidadania. A unificação da técnica e das normas instrumentais poderá servir então, dialeticamente, de trampolim para uma nova humanidade, para novos valores simbólicos que em sua interfecundação e espalhamento abra caminhos a uma nova civilização planetária. 
           A História Universal seria então a da nossa humanidade comum e não mais a dos dominadores. 

Maria da Conceição Tavares ___________________________________________________________________ 
Milton Santos era geógrafo, professor emérito da Universidade de São Paulo, ganhador do Prêmio Internacional de Geografia Vautrin Lud em 1994 e autor de mais de 30 livros e 400 artigos científicos, publicados em diversos idiomas. 

Site das provas do ENEM

Alunos do 2º A - B - C  e 3º Ano do Ensino Médio do Sylvio Maya !!!

Esse blog :

http://suburbanodigital.blogspot.com.br/2012/06/enem-baixar-provas-resolvidas-e.html

Possui as provas do Enem resolvidas e comentadas desde 1998 até 2014.

Quem tiver interesse, dá uma pesquisada.
São assuntos atuais, como expliquei para vocês.

Grande abraço
Profº Daiane


Adamantium

Existe uma maneira de criar o que são chamados de "metais amorfos" ou "metais vítreos". Um metal amorfo é um material metálico com um não-cristalina, a estrutura desordenada. O material é arrefecido a uma taxa incrivelmente rápida, travando o metal em um estado "vítreo" sem dar tempo para formar cristais. Recentes desenvolvimentos nesta área têm produzido um certo número de ligas com velocidades de arrefecimento lento o suficiente para permitir a formação de estrutura amorfa em camadas espessas (mais de um milímetro); estes são conhecidos como os vidros metálicos a granel (BMG).
Em 2004, por exemplo, vários grupos conseguiram produzir aço amorfo granel. O grupo Oak Ridge refere-se ao seu produto como "aço glassy".O seu material é não magnético, à temperatura ambiente e é significativamente mais forte do que o aço convencional, adamantium, dando ênfase novamente de que o material não é magnético.

A ideia de que o metal pode ser ligado ou combinado com tecido orgânico não é como a ciência-ficcional quanto parece. Por exemplo, as mandíbulas de formigas cortadeiras e gafanhotos são recheados com zinco, tornando-os mais fortes e mais duráveis. Alguns vermes marinhos têm de cobre na matriz de proteína que compõe suas mandíbulas.
Cientistas conseguiram fazer algo parecido com o processo do Wolverine em uma aranha. Usaram laser para que a seda da aranha (teia, se preferir), ficasse mais resistente. Obviamente alguns metais não penetravam no organismo do aracnídeo, mas o zinco, o alumínio e o titânio conseguiram fazer com que a teia se tornasse bem mais resistente.
Os criadores dessa técnica acreditam que ela possa ser usada para aumentar a resistência e a força de outros materiais orgânicos como ossos e, quem sabe, até mesmo garras retráteis como as de Wolverine.
Fonte: http://www.livescience.com/

Material mais duro do mundo

Existe alguma coisa mais dura que o diamante ?
O diamante é a pedra mais dura que existe na natureza.

O diamante ainda continua sendo o sólido mais duro (difícil de ser riscado) encontrado na natureza que se conhece até hoje. No entanto,físicos alemães, da Universidade de Bayreuth, conseguiram produzir um material em laboratório que é mais duro que o diamante.
A dureza do diamante se deve à sua estrutura, que é formada por ligações entre carbonos não contidos no mesmo plano, com um ângulo de aproximadamente 109º. Sua estrutura cristalina é bem compacta, acarretando também numa densidade de 3,51 g/cm3.

Estrutura cristalina do diamante formada por ligações entre carbonos

Com base no conhecimento da estrutura dos carbonos, os cientistas começaram a fabricar diamantes sintéticos. E mais estudos nessa área levaram até mesmo a outra forma alotrópica do carbono, o buckminsterfullerene. A forma mais comum desse composto contém 60 átomos de carbono, C60, dispostos numa forma geodésica, que parece a de uma bola de futebol, com 60 vértices e 32 faces formadas por 12 pentágonos e 20 hexágonos.
Estrutura do carbono 60
O novo material mais duro que existe foi obtido exatamente a partir do carbono 60, onde os cientistas o submeteram a pressões elevadíssimas (cerca de 200 vezes a pressão atmosférica) e a temperaturas de 2500 ºK. Com isso, obtiveram uma nova forma de carbono conhecida como nanobarras agregadas de diamante ou ADNR.
Esse sólido possui a dureza de 491 gigapascals (GPa), enquanto que os diamantes comuns possuem 442 GPa.
Essa descoberta é importante, pois um material mais duro que o diamante e mais barato pode ser usado para várias finalidades, veja algumas delas:
  • Cortar o aço, algo que o diamante não consegue, pois ele queima quando é aquecido;
  • Recobrir peças de engrenagens e mancais, para durarem mais e poderiam ser usadas em aparelhos nos quais não é recomendado o uso de lubrificantes líquidos;
  • Para proteger a superfície de discos de computador.



sexta-feira, 15 de maio de 2015

Pico da Neblina - Amazonas

O Pico da Neblina, localizado no norte do Amazonas, na Serra do Imeri, é o ponto mais alto do Brasil com 2.994 metros de altitude (medição revista por satélite/GPS pelo IBGE em 2004). Dá nome ao Parque Nacional do Pico da Neblina, onde está situado. Localiza-se no município de Santa Isabel do Rio Negro, mas a cidade mais próxima é São Gabriel da Cachoeira. O segundo ponto mais alto situa-se a meros 687 metros da fronteira com a Venezuela no Pico 31 de Março (altitude de 2.972,66m), conforme determinado por uma comissão demarcadora de fronteiras em 1962.
O Pico da Neblina teria sido descoberto na década de 1950, pelo então comandante Mário Jucá, da Panair do Brasil, ao sobrevoar o pico num raro momento em que ele não estava encoberto pela neblina, numa época que se acreditava ser o Pico da Bandeira o ponto mais alto do Brasil. Na época não existiam instrumentos de precisão como o GPS, porém o comandante teria chegado a essa conclusão baseado apenas no altímetro de sua aeronave. Porém, se para os brasileiros o pico era desconhecido, os venezuelanos já o conheciam anteriormente como Cerro Jimé, e a área da montanha já tinha sido visitada em 1954, numa expedição do eminente ornitologista venezuelano (filho de americanos) William H. Phelps, Jr. Em sua homenagem, o pico às vezes é chamado de Cerro Phelps na Venezuela.
Em 1965 o topógrafo José Ambrósio de Miranda Pombo mediu a altitude do pico da Neblina como sendo de 3.014m e a do pico vizinho 31 de Março em 2.992m. Porém, em 2005 o cartógrafo Marco Aurélio de Almeida Lima, membro da expedição do Projeto Pontos Culminantes do IBGE e do Instituto Militar de Engenharia(IME), tirou as novas medidas após 36 horas de medição usando um aparelho de GPS. A nova medição determinou que o pico era aproximadamente 20 metros mais baixo do que se pensava, tornando o Brasil um país sem nenhum ponto em seu território acima de 3.000 metros de altitude.
Acesso: O início da trilha acontece na boca do Igarapé Tucano, próximo à aldeia ianomâmi de Maturacá, a cerca de 800 km de Manaus. É necessário subir o rio Cauaburi em voadeiras (velozes canoas de alumínio com motor de popa), até o Igarapé Tucano, início da caminhada. Depois de quatro dias de caminhada, andando uma média de 4 a 5 horas por dia, chega-se ao ponto mais alto do relevo brasileiro, onde se encontram várias espécies endêmicas, principalmente plantas de pequeno porte. O nome "Pico da Neblina" deve-se ao fato do mesmo se encontrar praticamente o ano todo coberto de nuvens.
Clima e vegetação: Plantas de grande porte e vegetação mais fechada (floresta equatorial ) só são comuns até os 1.000 m de altitude; dos 1.000m até aos 1.700m há árvores de médio e pequeno porte, onde a vegetação é mais aberta, e a partir dos 1800 m só há vegetação rasteira (vegetação de altitude).
No topo da montanha, a temperatura chega a 20 °C durante o dia e cai para 6 °C à noite.



















Agradecimento !!!

Hoje, 15/05/2015, gostaria imensamente de agradecer o aluno da 8º Série - 9º Ano, do período Matutino da Escola Sylvio Maya pela colaboração durante minhas aulas.

Luis Murilo, você serviu de exemplo para todos os alunos, prestando atenção e colaborando com a professora.

Continue assim !!!!
Parabéns e excelente fim de semana.

Grande abraço
Professora Dai

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Os dez maiores países do mundo em Extensão.

Quem nunca teve a curiosidade de saber quais são os maiores paises do mundo? Esse top 10 podemos abordar de varias formas, por países mais populosos ou mais ricos, no entanto creio que você deve estar buscando informação com relação a extensão territorial.
A seleção dos 10 maiores países do mundo é impressionante, com o destaque pelo tamanho, com possibilidade de atravessar 2 continentes. O Brasil compõe esta seleção e para os brasileiros é muito fácil notar o tamanho expressivo do país, em comparação com tantos outros ao redor do mundo.
Maior o país, maior é a tendência para diversidade cultural e econômica no seu interior, como o que acontece pelo Brasil que integra esta seleção. Daí a diferença, em muitas vezes gritante e possível entre as diversas regiões de uma única nação.
Top 10 maiores países do mundo .

Argélia – 2,38 milhões de km²
A Argélia é localizada ao norte da África, esta denominada o maior continente. O país ocupa a décima posição entre os maiores do mundo, e faz divisa com sete outros países, que são Saara Ocidental, Marrocos, Tunísia, Líbia, Mali, Níger e Mauritânia.

Cazaquistão – 2,72 milhões de km²
São 2,72 milhões de km² para a nona posição entre os maiores países, com o Cazaquistão. Já pertenceu à antiga União Soviética, e está na Ásia, com pequena parte européia. O Cazaquistão é o quarto maior país no continente asiático, com fronteira com China e Rússia, Quirguistão, Uzbequistão e Turcomenistão.

Argentina – 2,78 milhões de km²
Os hermanos ocupam a oitava posição nesta seleção, e é a terra do tango com fronteira com 4 países sem contar o Brasil, que são Chile, Uruguai, Bolívia e Paraguai. A Argentina representa o segundo maior país na América do Sul, e ainda o quarto das Américas.

Índia – 3,29 milhões de km²
A população da Índia também é enorme, e o país ocupa o sétimo lugar entre os maiores países pelo mundo. A densidade geográfica se resume em torno de 310 hab/km², muito alta. A Índia faz fronteira com China, Nepal, Paquistão, Bangladesh, Mianma, Butão, e também com Sri Lanka, ilha ao sul do país.

Austrália – 7,69 milhões de km²
A Austrália é considerada ilha e massa continental da Oceania, muito distante da posição anterior da Índia nessa seleção dos 10 maiores países pelo globo; a Austrália apresenta marca de 7,69 milhões de km² em extensão. E a Austrália não faz divisa terrestre com outra nação, mas alguns países são próximos como Nova Zelândia, e Ilha de Nova Caledônia.

Brasil – 8,51 milhões de km²
O nosso país é o maior da América do Sul, e ocupa o quinto lugar entre os 10 maiores países do mundo. É ainda o terceiro maior das Américas, e a característica especial do Brasil é fazer fronteira com quase todos os países da América do Sul, Paraguai, Argentina, Uruguai, Colômbia, Peru, Bolívia, Suriname, Venezuela, Guiana e Guiana Francesa. As exceções são Equador e Chile.



Estados Unidos – 9,37 milhões de km²
Os EUA, potência mundial, compõe a quarta posição na seleção dos 10 maiores países. Localizado na América do Norte, nesse quesito, permanece atrás apenas do Canadá. Pelo sul, os Estados Unidos fazem fronteira com México. O número mencionado referente aos EUA já inclui Alasca e Hawaii, que não se encontram anexados.

China – 9,59 milhões de km²
A população da China também é igualmente assustadora em quantidade, assim como a extensão do país, com 9,59 milhões de km², ocupando o terceiro lugar entre as maiores nações do mundo. Trata-se da maior população do mundo, e está localizado na Ásia, com divisa envolvendo 14 países.
Os países são Cazaquistão, Rússia, Quirguistão, Mongólia, Afeganistão, Tadjiquistão, Índia, Nepal, Paquistão, Laos, Mianma, Butão, Coréia do Norte e Vietnã.

Canadá – 9,98 milhões de km²
A segunda posição entre os 10 maiores países pelo mundo é do Canadá, com a primeira posição referente ao continente americano. E o país somente faz fronteira com os EUA. O território em extensão é impressionante, mas a população é considerada pequena, com densidade demográfica muito baixa.

Rússia – 17,10 milhões de km²

A primeira posição de maior país do mundo é da Rússia, e com tamanho muito expressivo, de 17,10 milhões de km². O país atravessa 2 continentes, a Europa e Ásia. A divisa é com 14 países, pela extensão total Leste/Oeste.
Os países são Noruega, Bielorússia, Finlândia, Lituânia, Letônia, Estônia, Polônia, Azerbaijão, Geórgia pelo lado europeu, China, Coréia do Norte, Cazaquistão, e Mongólia pelo lado asiático.

Mapa mundi político

mundi

Quantos países existem no mundo?

Quantos países existem no mundo???????


Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), existem 191 países. Mas há algumas ausências nessa lista. As duas mais famosas são Taiwan, cuja independência não é reconhecida pela China, e o Vaticano, que, apesar de ficar de fora do cadastro da ONU, é "observador permanente" da entidade, status que dá direito a voto nas conferências. Além desses dois, a ONU não contabiliza possessões e territórios. A Groenlândia, por exemplo, fica de fora porque é território da Dinamarca. Para ganhar a carteirinha de sócio, o país deve ter fronteiras definidas, sustentação econômica - uma moeda ajuda bastante - e soberania nacional. E ainda deve ser reconhecido pelos outros integrantes do clube. Mas a lista da ONU não é a única. Algumas associações esportivas também têm as suas. É o caso do Comitê Olímpico Internacional, com 202 membros, e da Fifa, que tem 205. Territórios como Aruba e Ilhas Cayman, não reconhecidos pela ONU porque pertencem, respectivamente, à Holanda e à Inglaterra, integram as duas entidades. Se você acha e tem muito país pra pouco mundo, saiba que isso é uma coisa relativamente nova: no início do século 20, havia apenas 57 nações. "Após a 1ª Guerra Mundial (1914-1918), o fim dos impérios austro-húngaro, na Europa, e turco-otomano, no Oriente Médio, fez com que surgissem novos países, como a Áustria e o Iraque", diz a historiadora Maria Aparecida de Aquino, da USP. Décadas depois, a independência de ex-colônias da Ásia e da África dividiu mais o mapa. Nessa época surgiram Índia e Paquistão (1947) e Moçambique (1975), entre outros países. Na década de 1990, com o fim da União Soviética, o mundo ganhou outra leva de nações, como a Ucrânia e o Uzbequistão. E novas divisões ainda são traçadas em zonas de conflito. A Caxemira, na fronteira entre Índia e Paquistão, e a Chechênia, na Rússia, reivindicam a independência na ponta da baioneta. Entre os membros da ONU, escolhemos 12 para mostrar os extremos do globo: o país mais rico, o mais pobre, o mais antigo e o mais novo, entre outras categorias que você confere ao lado.
Mundo muito estranhoNos quatro cantos do planeta, selecionamos nações recordistas em 12 categorias
O MAIS RICO - Luxemburgo
Os afortunados habitantes fazem jus à herança aristocrática do país, cujo nome oficial é Grão-Ducado de Luxemburgo. A renda anual per capita dos luxemburgueses é de 43 940 dólares, segundo dados da ONU de 2003
O MAIS QUENTE - Líbia
Ao lado do Egito e com parte do seu território coberto por desertos (do Saara e da Líbia), esse país já registrou a temperatura mais alta do mundo: 58 ºC, em setembro de 1992, na cidade de El Azizia
O QUE MAIS MUDOU DE NOME - Congo
Na declaração de independência, em 1960, o nome era República do Congo. Em 1971, passou a se chamar Zaire. Em 1997, mudou para o nome atual. Antes da independência, a colônia francesa teve outros dois nomes: Estado Independente do Congo e Congo Belga
COM MAIOR POPULAÇÃO FEMININA - Letônia
Se você quer descolar uma companhia do sexo frágil, experimente passar as próximas férias nesse país, que tem 1,2 milhão de mulheres e 1 milhão de homens — uma relação de 1,2 para 1
COM MAIS JOVENS - Iêmen
Nesse pequeno país do Oriente Médio, metade da população tem até 15 anos de idade. Essa também é a média de idade do país, que tem mais de 7,3 milhões de crianças e adolescentes
O MAIS POBRE - Etiópia
A Etiópia está na lanterna quando o assunto é riqueza. A renda anual per capita é de apenas 90 dólares, quase 500 vezes menor que a de Luxemburgo. Só para comparar, cada brasileiro ganha, em média, 3 330 dólares por ano
COM MAIOR POPULAÇÃO MASCULINA - Emirados Árabes Unidos
As 804 mil mulheres dos Emirados Árabes podem escolher entre 1,6 milhão de homens do país. A proporção de 2 homens por mulher é a mais alta do mundo
O MAIS FRIO - Rússia
A cidade de Oymyakon, na Sibéria, é forte candidata a sorveteria humana. Lá, os termômetros costumam bater em -50 ºC durante o inverno. Oymyakon só perde para a Antártida, que já marcou -89,2 ºC, mas não é um país
O MENOS POVOADO - Mongólia
Se você percorrer uma área de um quilômetro quadrado na Mongólia, com sorte encontrará duas pessoas. No país, a densidade demográfica é de apenas 1,5 habitante por km2. Ninguém tem problemas com os vizinhos por lá!
COM MAIS IDOSOS - Japão
A população japonesa tem, em média, 41 anos — 15 a mais que a média mundial, de 26 anos. Quase 30 milhões de japoneses têm mais de 60 anos. E a expectativa de vida feminina chega aos 85,2 anos
O MAIS ANTIGO - China
O país já era unido em 221 a.C. Mas bem antes disso, em 1500 a.C., já havia instituições políticas por lá. O Iraque e o Egito, apesar da trajetória recente como nações independentes, também têm histórias que remontam a 3000 a.C.
O MAIS POVOADO - Cingapura
Todo mundo sabe que a China é o país mais populoso do mundo, com mais de 1,2 bilhão de habitantes. Mas o mais povoado, com mais gente espremida no território, é Cingapura, com 6 107 seres humanos por km²
O MAIS RECENTE - Timor Leste
Em 1999, após uma guerra civil cruenta, um plebiscito bancado pela ONU deu aos timorenses a tão sonhada independência, reconhecida oficialmente em 2002. O país havia sido anexado pela Indonésia em 1975

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Tsunami

Tsunami, denominação derivada do japonês que significa onda de porto, corresponde às ondas provocadas por deslocamento da crosta oceânica que empurra a massa de água para cima, além do deslocamento de terras e gelo ou impacto de um meteorito no mar.
Em geral, um Tsunami é formado a partir de anomalias que provocam deslocamentos de uma enorme massa de água como terremotos, deslocamentos de massa continental, erupções vulcânicas ou meteorito, esse fenômeno pode surgir sempre que ocorrer acidentes geológicos de forma repentina na superfície marinha, que faz deslizar de forma vertical a massa de água.
Grande parte dos Tsunamis ocorre no Oceano Pacífico, no entanto, nada impede que aconteça em qualquer lugar e hora.
Os Tsunamis são ondas gigantescas, existem estimativas de ondas com mais de 30 metros de altura e velocidade incrível de mil quilômetros por hora, a formação de grandes ondas ocorrem também a partir de terremotos continentais, um exemplo disso foi o Grande abalo sísmico do Chile, que resultou em mortes no Havaí, que, apesar da distância, foi atingido por ondas que migraram pelo Pacífico.
Esse fenômeno natural é um perigo real e em muitos casos é difícil de prever, quando acontece certamente produz uma grande destruição, além de inúmeras mortes, diante disso é de fundamental importância a dispersão em todos os oceanos de equipamentos e sondas para identificar possíveis abalos e assim evacuar áreas para que pelo menos vidas humanas sejam poupadas, uma vez que prejuízos financeiros são inevitáveis nesse caso.

TSUNAMI

O QUE CAUSA UM TSUNAMI?

Um Tsunami é uma onda causada pelo movimento repentino do fundo do mar. Este movimento pode ser desencadeado por diferentes fenómenos: sismos, erupções vulcânicas ou deslizamentos de terras submarinos. Podem ainda ser gerados em consequência de impactos de meteoritos. Os Tsunamis propagam-se ao longo da superfície dos oceanos a grandes velocidades e quando atingem a linha de costa os seus efeitos podem ser devastadores.
A grande maioria dos Tsunamis formam-se em consequência de sismos gerados em zonas de subducção. As zonas de subducção são locais onde um fragmento de crusta terrestre, normalmente oceânica, mergulha sob outra (continental ou oceânica) afundando-se no manto. Neste local as forças de fricção são enormes. Imaginem uma fracção de rocha com mais de 20 km de espessura a mergulhar sobre outro com mais de 50 km, podendo atingir várias centenas de quilómetros de extensão e afundando a mais de 700 km de profundidade no manto.
Devido à fricção e devido ao facto de as placas se movimentarem lentamente durante a maior parte do tempo, a zona de subducção encontra-se normalmente bloqueada (stuck).


Deste modo a energia vai-se acumulando e as placas vão-se deformando lentamente, mas sem que ocorra movimento relativo ao longo do plano de subducção.



Quando a energia acumulada excede a força de fricção existente entre as duas placas dá-se o movimento repentino relativo entre elas ao longo do plano de subducção, libertando as enormes quantidade de energia. A energia potencial é "transformada" em energia cinética (movimento). Quando isto acontece o fundo do mar pode movimentar-se bruscamente, movimento este que é transferido à coluna de água suprajacente, gerando o Tsunami.


A onda assim formada propaga-se ao longo da superfície do mar, podendo ser amplificanda quando atinge as zonas costeiras. Nestas zonas podem-se formar-se ondas com várias dezena de metros causando a destruição quase total das áreas onde se dá o impacto da massa de água.

Terremoto no Nepal



Boa noite alunos !!!!

Devido a ocorrência do terremoto ocorrido ontem, das 3:11 h no horário de Brasília, estou postando para vocês algumas informações esclarecedoras.

O Nepal, que fica entre Katmandu e Pokhara (cidades extremamente pobres e populosas), situam-se num vale rodeado pelo Himalaia.

A magnitude foi de 7,8 e a terra também tremeu na índia, China e Paquistão. O tremor arrasou quase metade do Nepal e os tremores ocorreram simultaneamente.
A avalanche no Monte Everest matou várias pessoas.


Epicentro é a parte da superfície terrestre onde se registra a maior intensidade de um terremoto. Sua ocorrência se dá acima do hipocentro, o local interno da Terra, onde ocorre o terremoto.

 Muitas vezes, costuma-se dizer que ocorreu um terremoto em determinado local, mas nem sempre isso é verdade. É comum as pessoas terem sentido tão somente as ondas sísmicas, que se originam a partir do hipocentro, mas podem atingir centenas de quilômetros de distância.  Mas, o que é um terremoto? Veja essa definição, segundo o portal "UOL educação" (clique em "continue lendo"). 


Causas e efeitos dos abalos sísmicos

Tremores ou vibrações da superfície da crosta terrestre, de diferentes intensidades e variadas dimensões, vêm sacudindo nosso planeta há bilhões de anos. Suas causas, porém, permaneciam desconhecidas até a década de 1960. A partir dessa época, com a invenção dos sismógrafos - aparelhos capazes de registrar as ondas sísmicas ou sismos (movimentos súbitos ou tremores na Terra) -, foi possível dar início ao mapeamento de milhares de epicentros (pontos da superfície da Terra onde primeiramente chega uma onda sísmica). 






El Niño e La Niña

El Niño ou Enso
(El Niño South Oscilation)

Fenômeno causado pelo aquecimento anormal das águas do Oceano Pacífico, na região equatorial.
Dura de 12 a 18 meses.
Ocorre em intervalos de 2 a 7 anos.
Este aquecimento anormal muda a dinâmica das correntes marítimas e interfere na pressão do ar, alterando a circulação atmosférica.
Suas consequências são sentidas em várias regiões do globo

La niña
Fenômeno inverso ao El Niño;
As águas superficiais da região equatorial do Oceano Pacífico ficam mais frias que o normal;
Esfriamento aumenta a pressão e modifica a circulação atmosférica.
Possui efeitos em várias partes do globo


El Niño e La Niña

El Niño e La Niña

Em anos normais, sem a presença do El Niño ou La Niña, as águas do Oceano Pacífico Equatorial Oeste são mais quentes do que junto à costa oeste da América do Sul, onde as águas do Pacífico são um pouco mais frias.

A circulação do ar que sobe no Pacífico Equatorial Central e que vai para o leste em altos níveis da atmosfera e desce no Pacífico Leste, em conjunto com os ventos alísios em baixos níveis da atmosfera, formam o que os meteorologistas chamam de Célula de circulação de Walker.

Este é o padrão de circulação em todo o Pacífico Equatorial em anos normais.

Como as águas do oceano no Pacífico Oeste são mais quentes, há mais evaporação e formam-se nuvens numa grande área. Em regiões em que o ar vem de altos níveis da troposfera para níveis mais baixos, raramente há formação de nuvens de chuva.
Se o ar sobe numa determinada região da atmosfera, deverá descer em outra. Se próximo à superfície (baixos níveis da atmosfera) os ventos são de oeste para leste, em altos níveis ocorre o contrário, os ventos são de leste para oeste. Assim, o ar sobe no Pacífico Equatorial Central e Oeste e desce no Pacífico Leste (junto à costa oeste da América do Sul).

Termoclina
Termoclina é a região onde há uma rápida mudança na temperatura do oceano que separa as águas mais quentes próximas a superfície das águas mais frias e mais profundas. Os ventos alísios “empurram” as águas mais quentes para oeste, fazendo com que a termoclina fique mais rasa do lado leste, expondo assim as águas mais frias.

Ressurgência
Os ventos alísios, junto à costa da América do Sul, favorecem o afloramento de águas profundas do oceano em um fenômeno chamado ressurgência.
As águas mais frias têm mais oxigênio dissolvido e vêm carregadas de nutrientes e microorganismos vindos de profundidades maiores. Isso faz com que a costa oeste da América do Sul seja uma das regiões mais piscosas do mundo, pois surge também uma cadeia alimentar: pássaros se alimentam de peixes, que por sua vez se alimentam de microorganismos e nutrientes daquela região.

EL NIÑO
Em anos de El Niño, os ventos alísios enfraquecem. Com isto, todo o oceano Pacífico Equatorial começa a aquecer gerando evaporação e formando nuvens, com movimento ascendente.
Há um deslocamento da região com maior formação de nuvens e a célula de Walker fica bipartida. Pode-se observar águas quentes em praticamente toda a extensão do Oceano Pacífico Equatorial. E a termoclina fica mais profunda junto à costa oeste da América do Sul devido ao enfraquecimento dos ventos alísios.



A célula de Walker e a seca do Nordeste
Em anos de El Niño há uma mudança de posição do ramo ascendente da célula de Walker no Pacífico Equatorial que se desloca para o Pacífico Equatorial Leste. Formam-se então dois ramos descendentes: um na região que compreende o Nordeste Brasileiro e parte da Amazônia e outro na região da Indonésia.
O ar que desce dos altos níveis da troposfera inibe a formação de nuvens, esta é uma das explicações para as secas que ocorrem na região da Indonésia e no norte e leste da Amazônia e norte do Nordeste em anos de El Niño. Não é somente o El Niño que pode provocar seca no norte da Região Nordeste do Brasil, o Oceano Atlântico tem papel fundamental no regime de chuvas da região. Porém, em anos de El Niño, em geral, é observada seca nesta região.

Um episódio de El Niño
Entre 1997 e 1998, o episódio El Niño ocasionou intensa seca na região da Indonésia. Os índices de poluição na região eram altos, provocados pelas queimadas e pela poluição das grandes cidades, causando até acidentes por falta de visibilidade.
No Brasil, houve enchentes nos estados da Região Sul. No ano seguinte, ocorreu grande seca em Roraima provocando uma das piores queimadas da região. Foi observada uma intensa seca no norte da Região Nordeste que espalhou fome e miséria.

LA NIÑA
O La Niña, que significa “a menina”, em espanhol, é um fenômeno que se caracteriza por ser oposto ao El Niño, ou seja, é o resfriamento das águas do Oceano Pacífico Equatorial, pode ser chamado também de episódio frio, ou ainda, El Viejo “o velho”, em espanhol.
Com a evaporação e os movimentos ascendentes que geram nuvens de chuva, a célula de Walker, em anos de La Niña, fica mais alongada que o normal, devido a maior intensidade dos ventos alísios, e as águas mais quentes ficam represadas mais a oeste que o normal. A região do nordeste do Oceano Índico, a oeste do Oceano Pacífico, passando pela Indonésia, tem grande quantidade de chuvas. No Pacífico Equatorial Central e Oriental ocorrem os movimentos descendentes da célula de Walker. Eles ficam mais intensos que o normal, inibindo, e muito, a formação de nuvens de chuva.



Com os ventos alísios mais intensos, a ressurgência também irá aumentar no Pacífico Equatorial Oriental, emergindo mais nutrientes das profundezas do Oceano.

Periodicidade do La Niña
Em geral, os episódios La Niñas têm freqüência de 2 a 7 anos, porém tem ocorrido em menor quantidade que o El Niño durante as últimas décadas. Os episódios La Niña têm duração de aproximadamente 9 a 12 meses, e somente alguns episódios persistem por mais de 2 anos.
Os valores das anomalias de temperatura da superfície do mar (TSM) em anos de La Niña têm desvios menores que em anos de El Niño, ou seja, enquanto observam-se anomalias de até 4,5ºC acima da média em alguns anos de El Niño, em anos de La Niña, as maiores anomalias observadas não chegam a 4ºC abaixo da média.

2 Chuva Ácida e Ilhas de Calor