quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Música Água Viva - Raul Seixas



Água Viva (A Fonte)

- Raul Seixas & Paulo Coelho -

Eu conheço bem a fonte
Que desce aquele monte
Ainda que seja de noite

Nessa fonte está escondida
O segredo dessa vida
Ainda que seja de noite

"Êta" fonte mais estranha,
que desce pela montanha
Ainda que seja de noite.

Sei que não podia ser mais bela
Que os céus e a terra, bebem dela
Ainda que seja de noite

Sei que são caudalosas as correntes
Que regam os céus, infernos
Regam gentes
Ainda que seja de noite

Aqui se está chamando as criaturas
Que desta água se fartam mesmo às escuras
Ainda que seja de noite
Ainda que seja de noite...

Eu conheço bem a fonte
Que desce daquele monte
Ainda que seja de noite

Porque ainda é de noite!
No dia claro dessa noite!
Porque ainda é de noite!


Fonte:  http://www.vagalume.com.br/raul-seixas/agua-viva.html#ixzz3H5Sfvezn

Principais tipos de drenagem fluvial.








Rios e suas classificações.

Rios

Como sabemos, os rios são cursos de água que desaguam no mar, num lago ou em outro rio.
São considerados os maiores escultores da morfologia dos terrenos pelos quais passam, seja erodindo ou depositando materiais pelo curso de água. 

Classificação dos rios

Segundo Riccomini et al (2001), afirmam que as classificações dos rios mais comuns tem como base o padrão de drenagem e o seu comportamento em relação ao substrato, bem como a morfologia dos canais.

Padrão de drenagem dos rios

De acordo com o tipo de rocha e estruturas geológicas presentes em determinada bacia hidrográfica, há uma diversificação no padrão de drenagem, que pode ser:
  1. Dentrítico: é o padrão mais comum e assemelha-se aos galhos de uma árvore;
  2. Paralelo: os canais estão dispostos paralelamente entre si;
  3. Radial: a drenagem exibe uma planta retangular, mas com seus tributários paralelos entre si;
  4. Treliça: a drenagem exibe uma planta retangular, mas com seus tributários paralelos entre si.