sexta-feira, 15 de maio de 2015

Pico da Neblina - Amazonas

O Pico da Neblina, localizado no norte do Amazonas, na Serra do Imeri, é o ponto mais alto do Brasil com 2.994 metros de altitude (medição revista por satélite/GPS pelo IBGE em 2004). Dá nome ao Parque Nacional do Pico da Neblina, onde está situado. Localiza-se no município de Santa Isabel do Rio Negro, mas a cidade mais próxima é São Gabriel da Cachoeira. O segundo ponto mais alto situa-se a meros 687 metros da fronteira com a Venezuela no Pico 31 de Março (altitude de 2.972,66m), conforme determinado por uma comissão demarcadora de fronteiras em 1962.
O Pico da Neblina teria sido descoberto na década de 1950, pelo então comandante Mário Jucá, da Panair do Brasil, ao sobrevoar o pico num raro momento em que ele não estava encoberto pela neblina, numa época que se acreditava ser o Pico da Bandeira o ponto mais alto do Brasil. Na época não existiam instrumentos de precisão como o GPS, porém o comandante teria chegado a essa conclusão baseado apenas no altímetro de sua aeronave. Porém, se para os brasileiros o pico era desconhecido, os venezuelanos já o conheciam anteriormente como Cerro Jimé, e a área da montanha já tinha sido visitada em 1954, numa expedição do eminente ornitologista venezuelano (filho de americanos) William H. Phelps, Jr. Em sua homenagem, o pico às vezes é chamado de Cerro Phelps na Venezuela.
Em 1965 o topógrafo José Ambrósio de Miranda Pombo mediu a altitude do pico da Neblina como sendo de 3.014m e a do pico vizinho 31 de Março em 2.992m. Porém, em 2005 o cartógrafo Marco Aurélio de Almeida Lima, membro da expedição do Projeto Pontos Culminantes do IBGE e do Instituto Militar de Engenharia(IME), tirou as novas medidas após 36 horas de medição usando um aparelho de GPS. A nova medição determinou que o pico era aproximadamente 20 metros mais baixo do que se pensava, tornando o Brasil um país sem nenhum ponto em seu território acima de 3.000 metros de altitude.
Acesso: O início da trilha acontece na boca do Igarapé Tucano, próximo à aldeia ianomâmi de Maturacá, a cerca de 800 km de Manaus. É necessário subir o rio Cauaburi em voadeiras (velozes canoas de alumínio com motor de popa), até o Igarapé Tucano, início da caminhada. Depois de quatro dias de caminhada, andando uma média de 4 a 5 horas por dia, chega-se ao ponto mais alto do relevo brasileiro, onde se encontram várias espécies endêmicas, principalmente plantas de pequeno porte. O nome "Pico da Neblina" deve-se ao fato do mesmo se encontrar praticamente o ano todo coberto de nuvens.
Clima e vegetação: Plantas de grande porte e vegetação mais fechada (floresta equatorial ) só são comuns até os 1.000 m de altitude; dos 1.000m até aos 1.700m há árvores de médio e pequeno porte, onde a vegetação é mais aberta, e a partir dos 1800 m só há vegetação rasteira (vegetação de altitude).
No topo da montanha, a temperatura chega a 20 °C durante o dia e cai para 6 °C à noite.



















Nenhum comentário:

Postar um comentário

Textos de Apoio - 8º Anos A, B, C, D, E e F - Escola Sylvio Maya - 3º Bimestre

Apostila Volume II - 3º Bimestre - Professora Daiane - Geografia - 8º Anos Situação de Aprendizagem 1 -  A apropriação desigual dos rec...