terça-feira, 19 de maio de 2015

Adamantium

Existe uma maneira de criar o que são chamados de "metais amorfos" ou "metais vítreos". Um metal amorfo é um material metálico com um não-cristalina, a estrutura desordenada. O material é arrefecido a uma taxa incrivelmente rápida, travando o metal em um estado "vítreo" sem dar tempo para formar cristais. Recentes desenvolvimentos nesta área têm produzido um certo número de ligas com velocidades de arrefecimento lento o suficiente para permitir a formação de estrutura amorfa em camadas espessas (mais de um milímetro); estes são conhecidos como os vidros metálicos a granel (BMG).
Em 2004, por exemplo, vários grupos conseguiram produzir aço amorfo granel. O grupo Oak Ridge refere-se ao seu produto como "aço glassy".O seu material é não magnético, à temperatura ambiente e é significativamente mais forte do que o aço convencional, adamantium, dando ênfase novamente de que o material não é magnético.

A ideia de que o metal pode ser ligado ou combinado com tecido orgânico não é como a ciência-ficcional quanto parece. Por exemplo, as mandíbulas de formigas cortadeiras e gafanhotos são recheados com zinco, tornando-os mais fortes e mais duráveis. Alguns vermes marinhos têm de cobre na matriz de proteína que compõe suas mandíbulas.
Cientistas conseguiram fazer algo parecido com o processo do Wolverine em uma aranha. Usaram laser para que a seda da aranha (teia, se preferir), ficasse mais resistente. Obviamente alguns metais não penetravam no organismo do aracnídeo, mas o zinco, o alumínio e o titânio conseguiram fazer com que a teia se tornasse bem mais resistente.
Os criadores dessa técnica acreditam que ela possa ser usada para aumentar a resistência e a força de outros materiais orgânicos como ossos e, quem sabe, até mesmo garras retráteis como as de Wolverine.
Fonte: http://www.livescience.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário