sexta-feira, 5 de agosto de 2016

3º Ano Ensino Médio Maya - O Continente Africano

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 1 – VOLUME 2 – 3º Bimestre –
O CONTINENTE AFRICANO

Conforme se verifica no mapa mudo apresentado com a resposta, a África é o único continente que possui terras em todos os hemisférios.
O continente africano  é cortado pelo Equador, apresentando territórios nos hemisférios Norte e Sul,  assim como pelo Meridiano de Greenwich, possuindo terras nos hemisférios  Ocidental e Oriental.
Como é possível observar no mapa mudo  apresentado com a resolução (os retângulos coloridos são as respostas deste exercício), a maior parte do continente encontra-se  na Zona tropical (a faixa mais larga, a do meio), pois está ao Sul do Trópico de Câncer e ao Norte do Trópico de  Capricórnio. O extremo norte situa-se na Zona temperada norte, e o extremo sul, na  Zona temperada sul.
A fronteira entre a África e a Ásia costuma ser fixada no Istmo de Suez, o que faz da  Península do Sinai território asiático, que, no entanto, pertence a um país do continente  africano, o Egito. O Mar Vermelho é a fronteira marítima entre os dois continentes.
Como é possível observar no mapa mudo apresentado, o círculo vermelho (escrito fronteira da Ásia / África)  identifica a fronteira entre a África e a Ásia: o Istmo de Suez, no norte do Egito.
Significado de Istmo: estreita faixa de terra que liga duas áreas de terra maiores (p.ex., unindo uma península a um continente ou separando dois mares).

A Península do Sinai, pertencente ao Egito, faz fronteira terrestre com Israel. O  Sinai, considerado território asiático, é área de grande importância econômica (jazidas de petróleo) para o Egito, que, finalmente, obteve a sua devolução em 1979, após a assinatura de um acordo de paz com Israel. Importantes cidades egípcias  localizam-se na região do Sinai, como Ismaília, Suez e Port Said, e, para alguns  geógrafos, a fronteira israelo-egípcia deveria ser considerada como o limite preciso  entre a Ásia e a África. O Canal de Suez, construído na segunda metade do século  XIX e inaugurado em 1869, tornou-se de grande importância geoestratégica ao  permitir o encurtamento do trajeto marítimo entre a Ásia e a Europa.

A sequência numérica: (6), (3), (2), (7), (1), (5), (4) e (2). Faz  parte  da  resposta da  questão da  pagina 6-9.

Percebemos que, pelo fato de a linha do Equador passar praticamente no meio do continente, há um espelhamento ou simetria de climas e biomas de acordo com as latitudes a norte e a sul. Nos extremos dessas latitudes, por exemplo, predominam clima e vegetação mediterrâneos.

Rio Nilo: nasce no Lago Vitória (localizado entre Uganda, Tanzânia e Quênia), desloca-se para o norte e atravessa áreas tropicais e desérticas até sua foz, no Mar Mediterrâneo, nas proximidades de Alexandria, no extremo norte do Egito.

Rio Zambeze: nasce em Zâmbia e faz fronteira entre Botsuana, Namíbia, Zâmbia e  Zimbábue, desaguando no litoral de Moçambique, no Oceano Índico.

  • Rio Congo: o segundo maior em volume d’água no mundo, atravessa a floresta  equatorial africana e deságua no Oceano Atlântico.

O Saara, maior deserto quente do mundo, estende-se na porção norte da África e é  considerado um marco divisório, ao separar o Norte da África, composto de países em que  predominam povos árabes, semitas e camito-semíticos, da porção Centro-Sul do  continente denominada África Subsaariana, na qual a diversidade de etnias é grande.
O Saara localiza-se ao norte do continente africano e se estende do Oceano Atlântico até o Mar Vermelho, abrangendo vários países. Em virtude de suas grandes  extensões arenosas e baixíssima umidade, apresenta fraca densidade demográfica e  possibilita poucas atividades econômicas.
A Cadeia do Atlas, localizada no extremo noroeste da África, é um dos fatores  responsáveis pela aridez do Deserto do Saara. Isso ocorre porque sua elevada altitude  e a disposição transversal em que se encontra impedem a passagem dos ventos que  chegam do norte carregado de umidade do mar.
Quanto à localização dos países da África do Norte, ver respostas em azul (na zona temperada do norte) no  mapa mudo apresentado na página 1 deste gabarito.
As populações desses países têm uma unidade cultural dada pela religião islâmica, trazida pelos árabes da Península Arábica, a partir do século VII.
De acordo com o Atlas de L’Integratión Régionale en Afrique de l’Ouest (OCDE, 2006), do ponto de vista climático o Sahel é definido como a zona semiárida que compreende as  isoietas entre 200 e 600 mm e atravessa seis países do oeste da África continental: Mauritânia, Senegal, Mali, Burkina Faso, Níger e Chade. Abarca também a porção norte da Nigéria e de Camarões. Considerando-se o conjunto das características fitogeográficas, alguns estudos também incluem porções dos territórios do Sudão e da Somália.
O Magreb (ou também Magreb Central) corresponde à porção ocidental do Norte  da África, onde se localizam o Marrocos, a Argélia e a Tunísia, países que foram  integrados ao império colonial francês no século XIX e que, anteriormente, faziam  parte do Império Turco-Otomano. No entanto, notifique a existência do Grande  Magreb, região que se estende da Mauritânia à Líbia.
Em relação ao conjunto das exportações dos países que compõem o Magreb, as  trocas econômicas e comerciais com a Europa são mais intensas do que as relações  bilaterais que mantêm entre si. Além disso, devem-se considerar também os  seguintes aspectos: de toda a África, esta região é a que se encontra mais próxima da  Europa; é a região mais rica da África, depois da África Austral, com vastas reservas  de petróleo, gás natural, fosfato e ferro, matérias-primas de grande interesse para os  europeus; apresenta grande número de migrações com destino à União Européia e,  portanto, tem aproximação política geoestratégica; mas também há muitas incertezas, em virtude de movimentos islâmicos que se organizam nesses países e atuam  mundialmente.
A África do Norte, ou Setentrional, possui, além do Magreb, o Vale do Rio Nilo, no Egito, e o Saara.
Existem grandes similaridades entre o Rio Nilo, africano, e o Rio São Francisco, brasileiro. Ambos têm traçado sul-norte; o Nilo nasce em área tropical úmida e corre para o deserto, enquanto o São Francisco também tem sua nascente em área tropical e corre para a região do sertão nordestino. São utilizados para transporte, irrigação e geração de energia. Uma das diferenças entre eles encontra-se no tipo de foz, pois,  enquanto o Nilo, nas proximidades de Alexandria, tem a sua foz em forma de delta, o São Francisco, na divisa entre Sergipe e Alagoas, tem a sua foz em forma de estuário.
O Rio Nilo atravessa mais de 2 mil quilômetros de deserto, propiciando áreas mais úmidas e férteis, fornecendo água e solos agricultáveis em suas margens. Isso explica a  presença de muitas aglomerações humanas, como ocorre no Cairo e em Alexandria (Egito) e em Cartum e Omdurman (Sudão). Outro fato importante a respeito do Rio Nilo é a barragem de Assuan, situada a 950 quilômetros do Cairo, que fornece energia elétrica para todo o Egito e controla o volume da vazão de água nas cheias.
A formação dos desertos da Namíbia e do Kalahari associa-se à presença da corrente fria de Benguela. O anticiclone do Atlântico Sul é um centro emissor de massa de ar quente e úmida. No entanto, quando essa massa entra em contato com a corrente fria citada, perde suas características originais, transformando-se em uma massa fria e seca.
 Podemos associar a relativa pobreza hidrográfica  com a forte diferenciação climática do continente africano, uma vez que há extensas  áreas com predomínio de tipos climáticos desértico, semiárido e mediterrâneo tanto ao  norte como ao sul. O enunciado propicia comentário sobre as principais áreas  desérticas: o Saara, ao norte do continente, e os desertos do Kalahari e da Namíbia, no  extremo sul. De forma complementar, poderão também identificar alguns fatores que  influem decisivamente para a existência dessas áreas, como, entre outros, a atuação da  corrente marítima fria de Benguela para os desertos do extremo sul, e de outra corrente  de mesmo tipo (Canárias) e a Cadeia do Atlas para o caso do Saara, ao norte.
A resposta é a alternativa b.  Específico e pontual quanto ao conteúdo, o enunciado da questão exige conhecimento básico  sobre a região conhecida como Magreb,  solicitando sua localização no continente africano.




Nenhum comentário:

Postar um comentário